segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

-Ele é sugado para uma espécie de portal. E depois de uma viagem atribulada que o deixou um pouco tonto, caiu de rabo no convés do que parecia uma arca gigantesca, do género da do Noé. Levanta-se com os olhos semi-cerrados de esforço e repara que está no meio de um mar infinito de água completamente translúcida em que se via perfeitamente o fundo... e o céu da noite mas com várias luas e uma nébula rosa. O planeta parecia diferente pois a linha do horizonte aparentava ter uma curvatura bem mais acentuada do que o planeta Terra. Ou seria este o verdadeiro planeta Terra?- O homem-de-fato questiona misteriosamente.

-Isso cheira-me a aldrabice.-Diz o Monstro.

O Homem-de-fato lentamente da um bafo no seu cigarro e no final responde, enquanto observa o vazio

-É possível.