quinta-feira, 3 de abril de 2008

Síntese

Boas, aproveito a pausa de 10 minutos que acabei de tirar para, de maneira "curta e grossa", dizer o que se anda a passar por aqui.
"Curta e grossa" e já agora um pouco sintética, porque apesar de não estar a fazer nada de especial a pausa é apenas de 10 minutos e depois já se sabe...

Bom, uma vez que não estou a fazer nada de especial realmente "depois" não se sabe grande coisa. Muitas já foram as vezes em que as pausas que tiro acabam por ser largamente ultrapassadas e "depois" não me acontece nada de especial uma vez que ninguém vem aqui ao PC puxar-me por uma orelha ou chamar-me nomes, mas apesar disso nada indica que esta não possa ser a primeira vez, pelo que há que ter atenção.
É preciso atenção e precisão – sobretudo precisão - no que escrevo, porque tal como expliquei antes, tenho – antes de mais – de ser pontual.

Então é assim, na minha opinião a Lurdes está a "agarrar-se". Está.
E não é ao calhas que escolho o verbo "agarrar", pois isso permite-me fazer uma engraçada analogia entre o título deste blog e um motor que, por falta de óleo, "agarra" e deixa de trabalhar.

Claro que esta analogia - já de si engraçadíssima e que me confere uma enorme notoriedade e conhecimento no campo da mecânica – acaba no momento em que reconhecemos que a Lurdes não é um motor e que não é feita de ligas metálicas.
A Lurdes é – apenas e só – um ser humano que quer agarrar-se, um pouco como todos nós, a algo que nos faça sentir em paz e segurança... ou então uma toxicodependente, fraca e escanzelada, que luta para agarrar uma mala algures num passeio da baixa pombalina, para trocar por uma dose de coca que a ponha high again...
Não interessa, não é um motor.

Isso não é totalmente mau.
Acabamos por nos safar a uma oficina escura, com o chão coberto de óleo usado e um mecânico sabujo com desperdício velho no bolso a dizer "Tá aqui um 31 daqueles...a Lurdes agarrou... isto não são menos de 300 euros...", mas deixa-nos a pensar "que raio podemos nós fazer para que a Lurdes não agarre de vez?"

Porque no fundo a questão principal é esta, mediante o caminho que a Lurdes está a tomar.
É esta a questão e há que saber responder a isto.

Não eu, porque infelizmente a minha pausa dos 10 minutos está a acabar.
Eu disse-vos que não ia demorar muito tempo e que ia dizer isto em jeito de síntese. Claro que há sempre quem diga "ah, eu vou escrever isto em forma de resumo" e depois perca imenso tempo a escrever sobre tudo e mais alguma coisa, muitos até vão buscar o Benfica e o Sporting para a conversa – vejam lá! - e que o Petit já foi melhor a rachar lenha na aldeia do que é hoje. É obvio que sim! Então se ele muitas vezes nem consegue recuperar totalmente e tem de ir jogar na mesma, estavam à espera do quê? Mas para isso não contem comigo, eu sou directo e não gosto de andar a florear as coisas... para desconversar – já vos disse – não contem comigo, até porque tenho de me ir embora. Faz-me lembrar uma poesia do Victor de Sousa – sim, que ele também escreve poesia, não são só sketch's para o Herman se bem que realmente é daí que as pessoas o conhecem mais... – que diz qualquer coisa como "filho, eu não tenho tempo" e realmente não tenho, porque os meus 10 minutos já estão mesmo a acabar. Mas até vos digo, foram uns 10 minutos que se assemelharam a uns 5, por isso em certa forma até foram agradáveis de passar. Muitas são as vezes em que os minutos parece que demoram horas a passar e digo-vos já, isso não é nada bom. Costuma acontecer mais nos empregos, as pessoas querem ir para casa e o tempo nunca mais passa, depois têm que ir a correr para os transportes e alguns até os perdem. São as chamadas "horas de ponta", são tramadas principalmente para quem vive fora de Lisboa. Existem poucas acessibilidades e as que existem já estão totalmente a transbordar pelas costuras. É como já tenho dito, tem de se investir mais nos transportes... então ali para a linha de Sintra...ui ui... aquele Ic19 é uma desgraça, mesmo depois dos alargamentos está tudo igual. Fartam-se de fazer obras e depois continua tudo igual.

Mas pronto, tenho de ir.
Um abraço.

3 comentários:

sofya disse...

muito bem parido pra 10 minutos! :D


«..não me acontece nada de especial uma vez que ninguém vem aqui ao PC puxar-me por uma orelha ou chamar-me nomes..»
não dês ideias!

*

António disse...

concordo

Carlos disse...

Aí está, sucinto e directo ao assunto :)